Gestores discutem sobre as novas diretrizes da Extensão

 
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) sediou na última quarta-feira, 5 de junho, o II Encontro de Gestores de Extensão do Estado do Pará, que teve como tema A Extensão Sob Novas Diretrizes. O Encontro integrou o Fórum de Instituições de Ensino Superior e Pesquisa do Estado do Pará (Forprex) e a I Reunião Ordinária do GT de Extensão/2019.  Os eventos foram realizados no auditório da Reitoria da Uepa, no bairro do Telégrafo, em Belém. 
 
O Encontro teve como objetivo estabelecer diálogos entre diferentes instituições de Ensino Superior, pois foi a primeira vez que os representantes de instituições do Pará se reuniram para discutir e compartilhar políticas e modo de atuação.  “Em 2018 foram criados os Fóruns de Pós-Graduação e Pesquisa, e o de Extensão. Neste Fórum, nós conseguiremos alinhar nossas políticas de extensão e fazer um trabalho em  conjunto, tendo várias cooperações. Esse Fórum paraense agrega a discussão do Fórum de Extensão da Região Norte, que reúne todas as instituições do Norte do Brasil, assim, podemos ir para o Fórum Nacional com um discurso fortalecido”, explicou o diretor de Extensão da Uepa, Osvando Alves.
 
A mesa de abertura contou com a presença do reitor da Uepa, Rubens Cardoso (foto); da vice reitora da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Janae Gonçalves (foto); e do pró-reitor de Extensão da Ufra, Eduardo do Valle Lima (foto). Durante a abertura os participantes da mesa explicaram sobre a importância da extensão para o desenvolvimento e a formação dos alunos. “Nós precisamos fazer a convergência dos nossos objetivos para as instituições de ensino, a extensão exige que a gente possa reangular os fatos e a enxergar novas redes”, comentou o reitor Rubens. 
 
A programação da manhã continuou com o painel sobre A nova extensão de ensino superior: desafios, possibilidades e limites, que teve como mediadores da mesa, o professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Nelson Souza Júnior (foto); o pró-reitor de Extensão da Ufra, Eduardo do Valle Lima e a diretora de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), Suezilde da Conceição Amaral (foto). 
 
À tarde, na sala do Conselho Universitário (Consun), o debate principal foi sobre as Estratégias para a efetivação da Extensão no Estado do Pará. Participaram da mesa o reitor da Uepa, Rubens Cardoso; o professor Edval Bernardino, da Universidade Federal do Pará (UFPA); e o reitor da Ufra, Marcel do Nascimento Botelho (foto). Os dois últimos apresentaram os mecanismos para implantação das ações extensionistas nas respectivas instituições, a exemplo de bolsas, por meio de edital específico na Ufra. Já o reitor da Uepa frisou a importância de parcerias para o desenvolvimento de ações em conjunto. “ É preciso ter a compreensão de que a extensão não é pontual e envolve outros atores”, finalizou. 
 
Curricularização da Extensão - Um dos pontos de discussão ao longo do dia foi a Resolução nº 7, do Conselho Nacional de Educação, que estabelece as diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira.
 
Aprovado em 18 de dezembro de 2018, o documento define a extensão como “a atividade que se integra à matriz curricular e à organização da pesquisa, constituindo-se em processo interdisciplinar, político educacional, cultural, científico, tecnológico, que promove a interação transformadora entre as instituições de ensino superior e os outros setores da sociedade, por meio da produção e da aplicação do conhecimento, em articulação permanente com o ensino e a pesquisa”.
 
Na prática, a Resolução regulamenta que as atividades acadêmicas de extensão devem ser  componentes curriculares dos cursos de graduação, considerando a formação integral dos estudantes. “As atividades de extensão devem compor, no mínimo, 10% (dez por cento) do total da carga horária curricular estudantil dos cursos de graduação, as quais deverão fazer parte da matriz curricular dos cursos”, diz o documento.
 
As instituições de ensino superior tem até dezembro de 2021 para se adequar às diretrizes da Resolução. Na Uepa, a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) estuda as possibilidades para, em conjunto com a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), efetivar a carga horária de extensão em todos os cursos e vincular as atividades aos programas institucionalizados na Universidade. Hoje, o número de programas é de 36. Além disso, a equipe da Proex pretende realizar Seminários de Extensão em todos os 21 campi, para debater a Resolução e definir estratégias para se adequar às diretrizes, antes das futuras avaliações dos cursos.
 

Texto: Viviane Nogueira e Ize Sena

Foto: Nailana Thiely e Marcelo Sarmento